Juazeirense radicada em Barreiras ganha prêmio em nível nacional

Compartilhar
 
A terceira edição do Prêmio Anu, da Central Única de Favelas (Cufa) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro na noite da última quarta-feira (20) mostrou que muitos cidadãos não ficam eternamente se lamentando pela omissão dos governos, arregaçam as mangas e põem mãos a obra para ajudar os menos favorecidos. O Anu este ano premiou uma iniciativa de cada estado brasileiro e do Distrito Federal, escolhida por júri e voto popular. O Prêmio Anu tem como principal objetivo destacar ações de toda natureza desenvolvidas dentro de Favelas em todo território nacional que contribuam para o desenvolvimento humano e social desses espaços. Delma Pedra, (irmã do vereador e médico, Dalmir Pedra) residente na cidade de Barreiras, foi uma das agraciadas com a premiação da Cufa, Premio Anu, como representante da Bahia e do Brasil.
 
Delma Pedra, representante da Casa de Reintegração Social Nova Vida foi às lágrimas quando recebeu o Anu Preto e disse que a entidade já conseguiu um índice de recuperação de 80% de jovens dependentes de drogas químicas depois que teve parceria com o Governo do Estado e do Município de Barreiras Bahia onde viabilizou a contratação de profissionais formando a equipe multidisciplinar. Animada por inúmeros grupos musicais de renome no Brasil, a premiação ainda homenageou a jornalista da Rede Globo Glória Maria.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.