Celebração da Páscoa em Juazeiro promove o sentido do servir

Compartilhar

Com o tema “O Sentido de Servir”, a Pastoral da Mulher de Juazeiro realizou no último dia 16 de abril, a Celebração da Páscoa. O evento que aconteceu na sede da Pastoral foi conduzido pelas educadoras sociais, Ana Paula e Joice Oliveira.
O momento foi de reflexão desde a acolhida das mulheres, onde as mesmas receberam vários símbolos que representam o momento da “Semana Santa”, que inicia com a entrada de Jesus em Jerusalém como rei, perpassando pelo Calvário até a sua ressurreição.
Refletindo os símbolos, algumas mulheres comentaram: “a coroa – me sinto especial”, “a água perfumada – tenho a necessidade de ser cuidada como o corpo de Cristo, quando as mulheres foram cuidar d’Ele”.
Na celebração, aconteceu o lava-pés, representando a hospitalidade e a humildade, exemplo deixado por Cristo para a humanidade. Toda a tarde foi embalada por cânticos e louvores, levando as mulheres e equipe demonstrarem suas emoções a partir das histórias de vida e reflexões trazidas pelas mesmas, cheias de dores, marcas e esperanças.
Na partilha foi reforçada a necessidade do perdão, o amor ao próximo, à solidariedade, disposição de servir ao outro, de valorizar a vida.
Além deste momento, foi realizada uma animação com as crianças e o grupo Mariart`s apresentou encenação com a música “Vitória na Cruz”.
Por fim aconteceu a ceia, onde cada mulher escolheu uma pessoa para servir a refeição, praticando o “sentido de servir”.
Para Joice Oliveira, “As mulheres não tinham o costume de servir umas as outras, sempre a equipe que servia. E praticando o gesto de servir, percebemos a aproximação de mulheres que não se falavam, e que, através deste gesto, conseguiram diminuir as distancias


Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.