Sem categoria

Estudo estima em 1,6 bilhão de euros custo anual da prostituição na França

Compartilhar

Cerca de 37.000 pessoas se prostituem na França, das quais a grande maioria (62%) é através da internet         
  

Paris (AFP) – A prostituição custa 1,6 bilhão de euros por ano para a sociedade francesa, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira que reforça a posição daqueles a favor da sua abolição e da penalização dos clientes.
Este estudo, realizado por uma associação que apoia as prostitutas, “Movimento do Ninho”, e pela sociedade Psytel, é considerado uma resposta à Comissão Europeia (CE) que propôs em 2014 aos Estados-membros incluir no cálculo de seu PIB a prostituição, o que a França rejeitou.
A investigação procurou estabelecer os custos econômicos e sociais da prostituição, “atacando o mito de uma prostituição criadora de crescimento”, explicam os autores do estudo que identificaram “29 itens de despesas”, principalmente baseadas em dados nacionais, estudos e pesquisas existentes, análises de especialistas e entrevistas com prostitutas.
De acordo com este estudo, financiado pela CE, cerca de 37.000 pessoas se prostituem na França, das quais a grande maioria (62%) através da internet.
Os autores estimam em 3,2 bilhões de euros o volume de negócios da prostituição, com base no número estimado de prostitutas e sua alegada renda mensal. A média foi de cerca de € 87.700.
Mas “o dinheiro dos clientes da prostituição é em grande parte retirado do circuito da economia clássica” e “enviado para o exterior”, afirma o estudo, que calcula em 853 milhões de euros a evasão fiscal do setor.
Em comparação, os gastos sociais (abrigos de emergência, benefícios sociais, ações preventivas, etc.) dos quais beneficiam as prostitutas foram estimados entre 50 e 65 milhões de euros. Os autores estimam em 311 milhões de euros o custo humano para as prostitutas, seis vezes mais expostas a violações do que a população em geral e doze vezes mais propensa ao suicídio.
As consequências sociais indiretas (filhos abandonados, homicídios e suicídios), as despesas de saúde, de polícia e justiça representam 427 milhões de euros, afirmam os autores, que lutam pela abolição da prostituição.

 

 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *