Sem categoria

Como Espanha está a tornar-se um popular destino de turismo sexual

Compartilhar
Ausência de legislação tornou país num dos destinos favoritos de quem quer pagar por sexo
 
O Governo espanhol admite que existam cerca de 45 mil mulheres a trabalhar como prostitutas no país. Porém, vários responsáveis ouvidos pelo El Mundo consideram que o número pode ser muito maior: segundo o próprio Instituto Nacional de Estatística de Espanha, a prostituição representa 0,35% do PIB espanhol, gerando cerca de cinco milhões de euros por dia.
De acordo com o jornal, Espanha tornou-se nos últimos anos um dos destinos favoritos para quem viaja à procura de sexo para pagar, sempre no ‘top dez’, ao lado de países como a Tailândia, Brasil, Indonésia, Colômbia, Filipinas, República Dominicana ou Holanda.
 
“Claro que há turismo sexual em Espanha, sem dúvida. As próprias forças de segurança do Estado o confirmam. Basta ver como a maioria dos clubes de sexo estão concentrados em áreas turísticas. Na Andaluzia, a maior parte dos bordéis estão nas províncias costeiras, não no interior. Nas Ilhas Canárias e Maiorca, durante a época alta, são preenchidos com mulheres que, depois do período turístico, são transferidas pelas máfias para outros lugares”, disse Jorge Uroz Olivares, professor do Departamento de Sociologia e Trabalho Social na Universidade de Comillas que há dois anos realizou um estudo sobre prostituição.
 
“A oferta é enorme, e como a prostituição não é proibida ou penalizada ou os que pagam por sexo não são penalizados, Espanha tornou-se um país atraente para o turismo sexual”, acrescentou Jorge Uroz Olivares.
 
Também a professora de Trabalho Social e autora de vários estudos sobre prostituição, María José Barahona, concorda com a tese de Olivares. “Faz todo o sentido que Espanha seja um dos destinos do mundo do turismo sexual. Temos os dois ingredientes principais: somos um país com uma grande quantidade de mulheres na prostituição e locais de sexo pago, e um dos países do mundo que recebe mais turistas”, defende.
 
A oferta de prostituição é de tal ordem que são muitos os sites que recomendam online o país aos interessados. E até o Wikisexguide, um site que serve de guia para o turismo sexual, assinala a ascensão de Espanha no mercado: “está a tornar-se um dos destinos de turismo sexual mais populares do mundo”.
 
Fonte: Diário de Noticias

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *