EspiritualidadeJustiça SocialmissãoSolidariedade

Madre Antonia: sua história inspira Amor à Vida!

Compartilhar

Nesse 16 de março, a Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor celebra o aniversário do nascimento de Madre Antonia. São 199 anos de um legado que continua vivo!

Um pouco sobre a História de vida de Madre Antonia – Fundadora da Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor…

A menina Antonia Maria de Oviedo SchontaI nasceu em 16 de março de 1822, na cidade de Lausanna (Suíça). Em seguida ao nascimento, seu pai, Antonio de Oviedo, dirigiu-se para a Inglaterra em busca de melhores condições de trabalho, vindo a ficar doente e falecer, sem que a filha o conhecesse.

Antonia tornou-se uma mulher culta e inteligente, falava 5 idiomas e começava a dar os primeiros passos como escritora e educadora. Foi preceptora das filhas da rainha espanhola Maria Cristina de Bourbon, onde permaneceu por 12 anos.

Em 1864, mudou-se para Madrid (Espanha), passando a colaborar com o trabalho de Pe. Serra nas Escolas Dominicais e a participar de exercícios espirituais que fizeram renascer a inclinação para a Vida Religiosa. Foi neste momento da sua caminhada que Antonia recebeu o convite de Pe. Serra para ajudá-lo na missão em prol da mulher prostituída.

Após vários momentos de oração para discernimento, Antonia encarou com coragem, alegria e determinação os desafios de viver e de ser presença significativa e misericordiosa especialmente na vida das mulheres que exercem a prostituição. Durante esse tempo compartilhou com elas a fé, a vida e saberes, percorrendo juntas um caminho de solidariedade e de misericórdia.

Em junho de 1864, Pe. Serra e Antonia abriram uma Casa de Acolhida para mulheres prostituídas, em Ciempozuelos, nos arredores de Madri, que recebeu o nome de Asilo Nossa Senhora do Bom Conselho.

Pertencente às grandes figuras femininas do século XIX, Antonia foi uma mulher com uma cultura avançada para a sua época. Sua profunda sensibilidade à realidade das mulheres na prostituição a levou a fundar junto ao Pe. Serra, a Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor em 1870, iniciando uma missão que se expandiu e atualmente está presente em 15 países no mundo. Na cidade de Juazeiro/BA, o trabalho acontece há 42 anos, objetivando o empoderamento e a garantia de direitos, para as mulheres que exercem a prostituição.

Antonia faleceu em 28 de fevereiro de 1898 e foi reconhecida pela Igreja como venerável em 1962.

Acesse também:

Vídeo em homenagem e comemoração ao nascimento de Madre Antônia: Clique no link.

Pastoral da Mulher – Unidade Oblata em Juazeiro/BA

 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *