Projeto Autocuidado Integral

Compartilhar

Esta semana, a Pastoral da Mulher realizou o segundo encontro do projeto terapêutico intitulado “Autocuidado Integral” em parceria com o Centro de Terapias Naturais Gianni Bande – CETGIB.

O projeto possui o intuito de promover ações de saúde integral através de práticas complementares integrativas proporcionando a prevenção, a manutenção e a promoção da saúde das mulheres, apoiando-as no processo de autocuidado.

O autocuidado é definido por um conjunto de ações individuais realizadas com o objetivo de cuidar de si mesmo, promovendo a saúde e o bem-estar do corpo e da mente. A pandemia tem mostrado a necessidade e importância de se manter a saúde como um todo, não se limitando apenas ao físico, mas sim a um equilibro entre corpo, mente e espírito.

Neste segundo encontro as mulheres foram atendidas pelos profissionais Francisco Leite – Terapeuta Holístico e Peterson Mendonça – Fisioterapeuta, estes se revezando nas escutas individuais a partir de um desenho da figura humana produzido por cada assistida.

A escuta acolhedora desencadeou atendimentos individualizados contemplando as seguintes terapias:

  • Acupuntura – ramo da medicina tradicional chinesa no qual finas agulhas são inseridas no corpo do paciente;
  • Moxabustão – técnica de acupuntura que consiste em aplicar calor direta ou indiretamente sobre a pele, através de um bastão enrolado com ervas medicinais;
  • Massagem expressa (Quick massage) – relaxamento muscular das regiões dorsal, cervical e dos membros superiores, buscando promover uma melhor postura, equilibrar o fluxo energético do corpo e desbloquear as tensões.

Os encontros acontecem quinzenalmente na sede do CETEGIB, localizado na Avenida Antônio Conselheiro, nº 07, João Paulo II, Juazeiro – BA. Tel.: (74) 3611-3463

.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.