Preta, você me inspira: transformando dor em tecnologia de resistência

Compartilhar

A Rede Oblata Brasil realiza o Webinar “Preta, você me inspira: transformando dor em tecnologia de resistência”, no dia 21 de julho, às 19 horas, com transmissão pelo Youtube.

Gestado pelo Projeto Força Feminina – Rede Oblata Salvador – esse encontro objetiva refletir sobre o papel social destinado às mulheres negras na sociedade brasileira. Será realizado também um momento de trocas entre militantes/ativistas dos movimentos de mulheres negras sobre estratégias individuais e coletivas de enfrentamento ao racismo, patriarcado e capitalismo.

Temática Central:
● Histórias de Mulheres negras inspiradoras.

Temas Transversais:
● Dororidade;
● Interseccionalidade;
● Enfrentamento ao racismo, machismo, patriarcado e capitalismo;
● Feminismo Negro;
● Empoderamento Feminino;
● Tecnologias Ancestrais.

O evento conta com as palestrantes Denize Ribeiro e Naira Leite, com mediação de Iracema Oliveira, educadora social do Projeto Força Feminina.

Para saber mais acesse: https://www.oblatassr.org/preta-voce-me-inspira/

Fonte: https://www.oblatassr.org/

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.