13ª Assembleia da Rede Mulher é realizada em Remanso/BA

Compartilhar
A Pastoral da Mulher de Juazeiro é uma das representantes da Rede Mulher.
 

 
 
Com a temática “convivência no semiárido, questões de gênero e a violência contra a mulher”, aconteceu nos últimos dias 28, 29 e 30 de março, na cidade de Remanso/BA, a 13ª Assembleia da Rede Mulher.
A Rede Mulher se constitui, enquanto organização informal, com uma nova visão e ampliação dos trabalhos, contribuindo no resgate da dignidade da mulher, através do incentivo a sua participação na sociedade, elevação da autoestima, formações na defesa e garantia dos direitos e geração de renda, nos princípios da Economia Solidária.
A temática “Convivência no Semiárido” foi abordada pela Educadora Social do IRPAA – Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada, Gizeli Maria de Oliveira Santos, que fez um estudo da realidade a partir das falas das participantes e refletiu a necessidade de apreender a conviver com as realidades e apostar nas transformações; enfatizou ainda a importância dos movimentos sociais, articulações, debates, formações, capacitações, outros, pela água, terra, energia, justiça, habitação, outros; pela humanidade.
Dando seguimento, a Educadora Social da Pastoral da Mulher, Joice Oliveira, abordou a temática, onde vários relatos surgiram na plenária, reforçando que é nosso dever continuar na luta.
“A violência contra a mulher é fruto de uma sociedade machista…”; “Eu fui abusada por outro homem e meu marido disse que estava com nojo de mim…”; “não vou mentir, eu sou violentada todos os dias…”, relatou uma das mulheres participantes da Assembleia.
Durante o evento, também aconteceram oficinas produtivas, onde os grupos compartilharam a produção de produtos, como por exemplo: pão de tapioca, peta, beneficiamento de sardinha e artesanato, aproveitando que a Rede de Mulheres é formada por trabalhadoras rurais, apicultoras, pescadoras, artesãs, doceiras, mulheres em situação de prostituição, artistas, entre outras profissões que contempla os municípios da Diocese de Juazeiro/BA, como por exemplo: Remanso, Campo Alegre de Lourdes, Pilão Arcado, Sento Sé, Casa Nova, Sobradinho e a própria cidade de Juazeiro.
As mulheres presentes na Assembleia puderam assistir a encenação da peça teatral “Chamas da Revolução”, apresentada pelo Mariart’s – Grupo Teatral formado por mulheres acompanhadas pela Pastoral da Mulher de Juazeiro, que favoreceu, de forma lúdica, o debate com relação às questões de gênero e a violência contra a mulher.
Por fim, o trabalho estruturado pelas coordenações regionais, onde a Pastoral da Mulher faz parte, tem o propósito de organizar os encontros, sensibilizar e animar as mulheres, despertando-as para a luta, tanto no âmbito individual, quanto no coletivo.
 
Grupo Teatral Mariart”s


Fonte: Pastoral da Mulher de Juazeiro

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.