PASTORAL DA MULHER ENCERRA SUAS ATIVIDADES COM O GMEL EM 2018

Compartilhar

No ultimo dia 30/11, foi realizado o encontro de culminância do GMEL – Grupo Mulheres em Libertação. O evento aconteceu no clube da APLB(Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia), com a participação de vinte mulheres, que desfrutaram de espaços de lazer, recreações e confraternização.

 

No primeiro momento houve uma atividade avaliativa, onde o grupo teve a oportunidade de identificar os avanços alcançados no decorrer do ano. Do mesmo modo, definiram projeções de trabalhos para o ano de 2019, entre elas: busca de novas parceiras; Visitas domiciliares e institucionais; Realizar ações na comunidade, entre outras.
A atividade foi mediada pelas educadoras: Ana Paula Santos, Maria das Neves e Railane Delmondes. E teve a participação de Eleonora, mestranda em psicologia, que está realizando um intercâmbio na Pastoral.  A coordenadora da Pastoral – Fernanda Lins, também se fez presente, onde destacou a  importância da união das mulheres para mudança da comunidade onde vivem e reafirmou o compromisso da Pastoral no que se refere à parceria junto ao grupo.
As mulheres demonstraram gratidão à Pastoral pelo acompanhamento prestado desde a formação do grupo até os dias atuais.
Vale destacar que neste ano, a Pastoral da Mulher encerra o seu acompanhamento ao grupo, mas segue a parceria com as mulheres e comunidade.

 
Fonte: Pastoral da Mulher

 

 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.