PASTORAL DA MULHER ENCERRA AURICULOTERAPIA COM CAFÉ DA MANHÃ

Compartilhar

Na manhã do dia  11 de dezembro, aconteceu na Pastoral da Mulher, um café da manhã alusivo ao encerramento da atividade de auriculoterapia no ano de 2018, com a participação de 21 de mulheres. 
 
A auriculoterapia ou acupuntura auricular, como também chamada,  é uma terapia de origem chinesa que especifica a região das orelhas como principal foco para diagnosticar, prevenir e tratar problemas de saúde, sejam físicos, psíquicos ou emocionais. Consiste na aplicação de esferas de aço, sementes de mostarda, ouro ou prata na região da orelha.
 

Segundo a auriculoterapia, o corpo humano pode ser representado na orelha, no formato de um feto, e, por isso, cada ponto se refere a um órgão específico. Assim, quando esse ponto é estimulado, é possível tratar problemas ou aliviar sintomas nesse mesmo órgão.

 
Desde o mês de julho a Pastoral da Mulher vem ofertando esse serviço as mulheres, após ter capacitado duas educadoras sociais na técnica.
 
As queixas apresentadas pelas mulheres, são em sua maioria: ansiedade, nervosismo, insônia, enxaqueca, dores localizadas, vícios e constipação.
 
Após esse período de aplicação, algumas mudanças já podem ser verificadas, como relata a assistida A.S: ” o resultado para mim foi imediato, porque eu estava sofrendo uma tremenda crise de dor cabeça, tomava muito medicamento, muito viciada, e graças a Deus conseguiu aliviar a dor de cabeça, de coluna, a ansiedade e insônia. Então estou achando o resultado muito positivo e agradeço muito por fazer parte e continuar fazendo parte e sempre contar com esse beneficio da Pastoral”

 

Por ser uma técnica terapêutica, a auriculoterapia é indicada somente como uma alternativa complementar de tratamento, associada a outros cuidados com a saúde.

 

 


Fonte: Pastoral da Mulher

 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.