156 anos de fundação da Casa de Acolhida

Compartilhar

Com muita alegria, comemoramos hoje os 156 anos de fundação da primeira Casa de Acolhida na Cidade de Ciempozuelos – Madrid, fundada por Padre Serra e Madre Antônia para receber as mulheres que depois de se recuperarem das doenças infecciosas adquiridas pela prática da prostituição naquela época, buscavam uma oportunidade para refazer suas vidas.

Casa de Espiritualidade Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor em Ciempozuelos (atualamente) / Fonte: https://casaespiritualidadoblatas.org/

Atualmente a Família Oblata está presente em 15 países dando continuidade a semente plantada por seus fundadores no ano de 1864.
As Oblatas chegaram no Brasil no ano de 1935 e hoje desenvolvem a missão através dos quatro projetos da Rede Oblata: Pastoral da mulher (Juazeiro -Bahia), Diálogos pela Liberdade (Belo Horizonte); Força Feminina (Salvador); e Projeto Antônia (São Paulo).

A Pastoral da Mulher atua na cidade de Juazeiro desde 1978 e busca promover uma maior humanização da realidade da mulher que se prostitui, projetando sua organização e gerando um processo de transformação.

Em comemoração a esta data e devido ao isolamento social causado pelo COVID-19, houve a celebração de uma missa virtual que contou com mais de 300 participantes entre irmãs e leigos Oblatas, bem como convidados de todas as províncias.

Estamos felizes e agradecidos aos nossos fundadores por nos dar inspiração e nos mostrar o caminho de misericórdia a ser traçado junto às mulheres.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais da Pastoral da Mulher – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 
Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.